equipe


Robson SANTARÉM 


robsonsantarem

Casado, Pai, Administrador especializado em Recursos Humanos, Mestre em Ciências Pedagógicas, pós-graduado em Psicologia Junguiana, pós-graduado em Teologia, Ecumenismo e Diálogo Interreligioso, pós-graduando em Filosofia Moderna e Contemporânea.

Com formação holística pela Universidade Holística Internacional – UNIPAZ, Educação em Valores Humanos e formação como Facilitador de Jogos de Empresa e Jogos Cooperativos. Coach Sr. com certificação internacional pelo ICI Integrated Coaching Institute / International Coaching Federation, formação em The Coaching Clinic – Corporate Coach U e credenciado pela InnerLinks Inc. como facilitador do Framework for Coaching Process. Certificado como Action Learning Coach e Membro-Fundador da World Institute for Action Learning do Brasil – WIAL Brasil. É Sócio-Fundador da Anima Consultoria para Evolução Humana, com experiência acumulada em multinacionais e consultoria de Recursos Humanos. Atua como professor convidado do MBA em Gestão de Pessoas na UFF LATEC com a disciplina Valores Humanos na Gestão, é facilitador e palestrante em vários congressos (CONARH Congresso Nacional de Recursos Humanos, ESARH – Encontro Sul Americano de Recursos Humanos, CBTD Congresso Brasileiro de Treinamento & Desenvolvimento, e nos congressos das seccionais da ABRH em diversos Estados), seminários e cursos de desenvolvimento de lideranças, trabalho em equipe, ética, espiritualidade no trabalho, etc. Foi vice-Presidente Executivo da ABRH RJ na gestão 2004/2006, e vice-presidente do Conselho Deliberativo desta Associação para o período 2007/2009. É autor do livro Precisa-se (de) Ser Humano – Valores na Formação Profissional (QualityMark Editora), AutoLiderança – Uma Jornada Espiritual (Editora Senac Rio), A Perfeita Alegria – Francisco de Assis para Líderes e Gestores (Ed. Vozes), e é coautor de Puer & Senex – Dinâmicas Relacionais (Ed. Vozes) ede vários artigos publicados em jornais e revistas especializadas. Recebeu o diploma de honra ao mérito do CRA em 2004 pela contribuição com a Ciência da Administração e valorização da Profissão. Desenvolve trabalho comunitário no Morro do Jurumenha – São Gonçalo, RJ desde 1981.

 

DEPOIMENTOS SOBRE OS LIVROS

PRECISA-SE (DE) SER HUMANO

A cada dia que passa mais complexo e desafiante torna-se o viver. O homem precisará buscar na ciência e na espiritualidade a criatividade para formular novas questões e a sabedoria para encontrar novas respostas. Essa obra literária é uma das raras oportunidades onde a sabedoria e a experiência se fundem com a teoria e contribuem para a construção de uma visão orientada para o bem comum e por conseguinte, para uma sociedade mais igual e mais justa. Lê-la é a oportunidade de crescer como pessoa.

Luiz Carlos Campos – Presidente da ABRH Nacional

Na linha da renovação organizacional, Robson Santarém contribui com essa preciosa e oportuna obra, fruto de rica experiência profissional e consistente embasamento teórico, com o resgate de valores essenciais ao êxito que, ao serem negligenciados explicam a maioria dos insucessos empresariais. É um esforço expressivo na literatura transformadora, por um batalhador vigoroso integrando as trincheiras na luta por uma empresa mais humana.

Francisco Gomes de Matos – Administrar, Consultor e Escritor

AUTOLIDERANÇA

Eis um livro diferente, que transpõe a base teórica de Jung para a prática, através do exemplo de Francisco de Assis. Com ele podemos aprimorar nosso “re-conhecimento”, definir nosso papel como líderes, a nossa verdadeira missão. Para todos os gestores que estão incomodados com as metodologias atuais de liderança e sentem que alguma coisa ainda está faltando, este livro é um tributo à generosidade, à perverança e à verdadeira sabedoria.

Sergio Borges Chaia – Presidente da NEXTEL DO BRASIL

Se pudesse indicar um ponto máximo da obra de Jung, certamente seria o processo de individuação. Refletir sobre esse ponto à luz da espiritualidade franciscana, como propõe o autor, com toda a sua inteligência e amorosidade, torna este livro muito oportuno e instigante nesse corre-corre organizacional.

Rita Quadros – Gerente da Escola de Gestão e Negócios da UNIVERSIDADE PETROBRAS

A PERFEITA ALEGRIA

Robson Santarém consegue refletir com maestria e simplicidade – e, em absoluta coerência, portanto, com a história de São Francisco de Assis – sobre a alegria e o mundo do trabalho, mostrando como as lideranças podem construir essa ponte vital para se alcançar as metas e resultados traçados pelas organizações. A leitura de A PERFEITA ALEGRIA traz embutida, em suas sábias páginas, uma verdadeira carta de alforria, pois nos ajuda a enxergar que não há como dissociar vida pessoal e trabalho como, por décadas, muitas grandes empresas tentaram fazer e nos levaram a acreditar. Portanto, regozijemo-nos. Estamos livres para alcançar a perfeita felicidade onde quer que estejamos.

Jaíra Reis – Diretora Executiva da Casa do Cliente Comunicação 360º

Paulo Clemen – Diretor de Atendimento e Planejamento da Casa do Cliente Comunicação 360º

O conhecimento de Robson da alma humana é extraordinário e surpreendente. Ele faz as conexões entre os valores do eterno São Francisco de Assis e o que hoje mais buscamos em qualquer candidato para as nossas empresas, de uma forma apaixonada, humilde e original, o que torna a presente obra uma leitura obrigatória para qualquer pessoa que goste de pessoas. Para a Light, empresa centenária e que contempla hoje a alegria como um de seus valores organizacionais, fazer parte de A PERFEITA ALEGRIA, obra que navega sobre a ligação – hoje praticamente inevitável – da espiritualidade como fator de felicidade nos ambientes corporativos que abrigam leveza, ética, transparência e humanidade, é uma honra imensurável.

Ana Silvia Matte – Diretor de Gente da LIGHT S.A.

PUER-SENEX DINÂMICAS RELACIONAIS

Autor do capítulo “Nas relações de trabalho”

Sobre o livro:

A riqueza do desenvolvimento psicológico articulado ao eixo criança-velho ou puer-senex foi realmente enfatizada na psicologia junguiana. Assim como a criança necessita desenvolver as dinâmicas arquetípicas do velho – precisa de limites e ponderações -, as pessoas que envelhecem não podem abrir mão da busca, da curiosidade e da espontaneidade da criança. E o poeta Gonzaguinha confirma: “eu fico com a pureza das respostas das crianças. (...) Viver e não ter a vergonha de ser feliz (...) Na beleza de ser um eterno aprendiz.”

Jung afirma que toda forma elementar do ser contém dentro de si o seu oposto. Sendo assim, o enrijecimento em uma das polaridades, isto é, a saída da conexão do eixo relacional puer-senex propicia a vivência dos aspectos negativos tanto do puer como do senex. Como disse Hillman, precisamos nos familiarizar e refinar a visão da meia-luz da ambivalência. Daí a necessidade de estamos sempre articulados na ativação desse eixo, senão seremos eternas crianças ou velhos senis nas diferentes situações existenciais, tanto pessoais como relacionais, de amor e dor, de trabalho e lazer e nos vários ciclos da vida... a escolha está em nossas mãos!

Vivências do tempo puer e do tempo senex acontecem ao longo de toda nossa vida, sem se circunscreverem a alguma idade específica. A tessitura desses fios psicológicos e arquetípicos – puer e senex – plasmam significados que nos desenvolvem e nos alimentam criativamente nas mais diferentes situações existenciais. Podemos, numa análise da cultura atual, dizer que saímos de uma época de dominância dos aspectos negativos do senex (rigidez e autoritarismo) e caímos na outra polaridade, o cultivo exacerbado dos valores do puer (eterna juventude e beleza física, falta de limites e de autoridade, pressa, hedonismo entre outros). Toda unilateralidade é um sinal de barbárie, afirma Jung, e a atual sociedade do espetáculo o confirma. Daí a necessidade de resgatarmos o significado arquetípico do senex. Nosso objetivo nessa obra é ampliar o horizonte de compreensão desse eixo relacional tão vital no desenvolvimento psicológico nas várias situações e fases da vida. Por nos colocar no eterno ciclo das mudanças e aprendizagens que o nosso peregrinar neste tempo-vida exige que façamos, e sempre. Assim, nos descobrimos na delícia e na dor do nosso processo de individuação ou de descoberta e atualização de nossas potencialidades no apelo para o nosso Self.

Dulcinea da Mata Ribeiro Monteiro – autora de diversos livros e organizadora dessa Obra.